quinta-feira, 30 de junho de 2011

Sandero automático chega caro

Sandero AT chega por R$ 43.490.
A Renault já divulgou detalhes do Sandero automático (ou Sandero AT). E chega bem mais caro que as versões de entrada do carro. Segundo a Renault, o carro tem nove tipos de programas, que se adaptam ao estilo de dirigir.

A marcha engatada aparece no visor, o que alivia, por que a régua (onde têm P, R, N e D) não é iluminada.

Ele tem o mesmo pacote de equipamentos da versão Previlège. Bom, por que o hatch oferece ar-condicionado, direção hidráulica, sistema de som e trio elétrico (esses são de série); Freios ABS, airbag duplo e volante revestido em couro são opcionais.

O Sandero AT tem motor 1.6 de 110 cv, à etanol. Ele custa R$ 43.490 (quase R$ 4 mil mais caro que o Sandero manual).

Toyota lança Etios Liva na Índia

Toyota Etios Liva tem preço equivalente à R$ 14.500.
Carro foi baseado no conceito Etios Concept, de 2010.
Pequeno? O Liva se livra desse nome no conceito espaço.
A Toyota lançou hoje, na Índia, o hatchback Etios Liva, derivado do sedã líder do mercado, Etios.
A versão de entrada, a Etios J,tem ar-condicionado, porta-luvas refrigerado e para-choques na cor do veículo. Já a top VX, conta com direção hidráulica, CD/MP3 Player, freios ABS, EBD e airbag duplo (além dos opcionais da versão J).

Já o motor é o mesmo em ambas as versões: 1.2 16V, à gasolina de 80 cv.

O Etios começará a ser produzido no Brasil em 2012, nas versões hatch e sedã. Ainda não se sabe, qual será a opção de motorização dos carros.

domingo, 26 de junho de 2011

Veja o trailer de Transformers: Dark of the Moon

Assista ao trailer oficial de Transformers: Dark of the Moon (Transformers 3: O lado oculto da Lua). O filme será lançado oficialmente aqui no Brasil dia 1º de julho, com pré-estreias para dias 29 e 30 de junho. Antes que perguntem, a música é: Linkin Park - Iridescent.

Honda Civic é o carro do ano 2011 pelos internautas do CoMdC

O novo sedã deve chegar até 2012, mas já ganhou prêmios.
Em maio, fizemos uma enquete, com 9 carros, para os internautas decidirem qual é o Carro do Ano 2011. Dentre 66 votos, 17 indicaram o Civic como vencedor. Abaixo, segue a porcentagem e colocação dos carros da enquete:

Novo Honda Civic: 26%
Volkswagen Jetta: 24%
Chevrolet Cruze: 18%
Audi A1: 15%
Kia Optima: 7%
Citroën DS3: 4%
Nissan March: 3%
Peugeot 408: 0%

O Honda Civic se juntou com Saveiro e Corolla na tropa dos Melhores. Parabéns!

sábado, 25 de junho de 2011

Ford mostra Ka 2012, e já digo: ficou melhor

[Foto/Divulgação: Revista Carro]
[Foto/Divulgação: Revista Carro]
[Foto/Divulgação: Revista Carro]
A Ford mostrou ontem a nova geração, o facelift do compacto Ka. O carro ficou mais atualizado com a nova linhagem global da marca. As novidades mais notáveis são essas: Faróis e lanternas de máscara negra, duas portas a menos, novo painel, grade hexagonal entre outros.

O carro começa a ser vendido por aproximadamente R$ 25.500. Há também uma versão nova, é o Ka Sport. Ele aposenta a antiga versão 1.6. A cor de entrada será um laranja-e-preto.
O Novo Ka ganhou a versão 1.6 Sport.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Renault Koleos recebe facelift na Europa

SUV Koleos se atualiza diante da versão 2009.
O Koleos foi o primeiro SUV da Renault.
Quem acha que o Duster é o primeiro SUV da Renault está simplesmente... errado. O posto pertence ao Koleos, que acaba de receber um facelift na Europa. Entre as mudanças, o SUV recebeu uma nova grade frontal cromada, faróis redesenhados e luzes de seta com LEDs instaladas nos espelhos retrovisores.

De acordo com o mercado, o Koleos será oferecido com três opções de motorização: duas movidas a diesel (dCi 150, de 150 cv, e dCi 175, com 175 cv) e uma abastecida a gasolina, chamada de TR25, que entrega 170 cv. O veículo pode ser comprado em versões 4x2 ou 4x4. A última novidade é a nova cor Laranja Cayenne.

terça-feira, 21 de junho de 2011

Salão de Buenos Aires 2011: Colorado incorpora a S10 Rodeio

A Colorado Rally mostra vai muito além de um conceito que servirá de base para a nova S10.
Em forma de competição, a Colorado remete a S10 Rodeio/Barretos.
Painel diferente do conceito anterior.
A nova S10 deve chegar aqui em 2012, mas quem não vê a hora de vê-la pode se alegrar com a Colorado Rally. O carro-conceito é um aperitivo da próxima geração da picape da GM, que ocupa a liderança do segmento de picapes médias 4x4 no Brasil há mais de uma década.

De cara, nota-se que a Colorado Rally incorporou o DNA global da Chevrolet. O parentesco com outros modelos da marca aparece no formato dos faróis e na grade frontal bipartida que aloja a gravatinha dourada da marca. De lado, o visual limpo da carroceria contrasta com detalhes como os estribos estilizados e a tampa do tanque de combustível feita de alumínio. Atrás, a caçamba tem uma tampa vazada, solução que, segundo a GM, melhora a aerodinâmica e reduz o peso da picape.

Os designers da Chevrolet transformaram a picape em um veículo pronto para disputar rallyes. Além dos pneus todo-terreno na medida 306/60 R18, a Colorado é equipada com amortecedores de alto desempenho, guinchos para reboque instalados nos para-choques, santântonio, suporte para estepe e até uma caixa de ferramentas na caçamba.

Por dentro, o painel tem espaço para os instrumentos usados em competições, como os relógios de pressão e temperatura e os comandos que modificam vários ajustes do carro, como rigidez dos amortecedores e ativação de duas bombas de combustível. O volante esportivo tem LEDs que indicam a rotação do motor e o momento ideal para a troca de marcha. A cabine ainda possui bancos concha equipados com cintos de segurança de cinco pontos (usados em corridas), gaiola de proteção contra capotagens, GPS e até reservatórios para armazenamento de soluções isotônicas para hidratação dos ocupantes.

A Colorado Rally é equipada com um motor 2.8 turbodiesel, que não teve seus números de desempenho confirmados pela Chevrolet. A sucessora da S10 será um projeto global. A montadora ainda não confirmou, mas a picape deve ser lançada no Brasil até o ano que vem.

domingo, 19 de junho de 2011

Salão de Buenos Aires 2011: Nova Ranger musculosa

A Nova Ranger chega aqui em 2012.
Versão top será a XLT 1.6 (aqui, na Argentina será um 2.2).
A Ford revela no Salão de Buenos Aires o conceito da nova geração da picape Ranger. Depois de quatro anos afastada do evento, a montadora apresenta uma novidade produzida como plataforma global e que chega ao Brasil em 2012.

Para driblar os problemas com os vôos nos aeroportos do país, a marca organizou uma Road Trip com convidados a bordo de cinco picapes na comitiva, que partiu de São Paulo até a capital da Argentina.

A nova geração da Ranger vem com novidades estéticas, mecânicas e em motor. O protótipo apresentado na cor Azul Aurora tem propulsor Duratorq TDCi 2.2 a diesel, que gera 130 cv de potência e 33,5 mkgf de torque, acoplado a uma caixa de câmbio manual com seis marchas e tração nas quatro rodas. A Ford também deve disponibilizar uma transmissão automática de seis velocidades para alguns mercados.

Por fora, a nova Ranger se destaca pelo design musculoso e pelas linhas limpas e modernas, mas sem perder a robustez. O espaçoso interior (o entre-eixos agora conta com 3.22 m) ganhou acabamento com materiais de qualidade superior. O conceito mostrado tem rodas de alumínio de 18 polegadas, estribos laterais e santantônio.

O modelo tem sistema Bluetooth com controle de voz, painel inspirado no teclado de celulares, 20 porta-objetos, com compartimento para laptop e um oculto embaixo do banco traseiro, mini-geladeira com capacidade para seis latas, freios ABS, controle de estabilidade e tração, controle de carga adaptativo (que distribui a força de frenagem conforme a carga carregada) e sensor anticapotamento.

O objetivo da Ford com a plataforma global na Ranger é produzir a picape em três continentes e comercializá-la em mais de 180 mercados. Para o Brasil, o modelo será importado da fábrica de Pacheco, na Argentina, que produz a geração atual da Ranger e já prepara as instalações para receber o novo modelo no próximo ano. Se ela vir igual ao conceito (a Ford não mexer no visual e deixar ela com cara de carrinho indiano) e tiver a opção da cor Azul Aurora, será a minha escolha.

Salão de Buenos Aires 2011: 500 mexicano chega à Argentina

O 500 mexicano está na Argentina desde o final de 2010.
Poucas mudanças o diferenciam do polonês, como os LEDs na lanterna traseira.
A Fiat exibe a versão latina do 500 no Salão de Buenos Aires. O modelo, que será produzido na fábrica de Toluca, no México, marcou a volta da montadora aos Estados Unidos e também virá para o Brasil (atualmente, o compacto vendido por aqui é importado da Polônia).

De novidades, o compacto conta com o novo motor 1.4 16V de 100 cv de potência com tecnologia MultiAir, que privilegia melhor eficiência e baixas emissões, a gasolina. A versão 1.4 flex também estará disponível.

Além disso, o novo 500 traz modificações externas, como detalhes nos parachoques e refletores nos paralamas, e internas, como acabamento e equipamentos de série menos sofisticados.

O novo 500 também virá com todos os mecanismos de segurança exigidos pelo mercado americano, como freios ABS, controle de estabilidade, assistente de descida íngreme, entre outros.

Na Argentina, o 500 mexicano é vendido desde o fim de 2010. Os preços para o Brasil vão diminuir, já que os modelos produzidos no México têm isenção de impostos :).

sábado, 18 de junho de 2011

Salão de Buenos Aires 2011: Mondeo aparece renovado

Modelo ficou mais esportivo com o facelift.
A Ford exibe no Salão de Buenos Aires o novo Mondeo, que introduz novidades tecnológicas e mudanças no sedã.

As principais mudanças são o sistema Ford ECOnetic e o design renovado baseado no Kinetic, que apresenta linhas modernas e elegantes.

O motor EcoBoost é novidade no mercado argentino, assim como a transmissão PowerShift de seis velocidades e dupla embreagem. A versão Titanium  tem propulsor 2.0 de 4 cilindros que gera 240 cv de potência. Ela se soma à duas versões já existentes no mercado argentino: Ghia e Titanium Duratec 2.3.

Por fora, o novo Mondeo tem grade inferior de forma hexagonal, que foi incorporada ao novo e maior para-choque dianteiro. Já a grade superior trapezoidal dá ao novo Mondeo uma aparência esportiva. O capô está mais robusto e com linhas marcantes, e os piscas foram incorporados aos retrovisores. As lanternas ganharam LEDs.

Por dentro, o sedã traz novo design no console central e detalhes em cromo acetinado na versão Titanium e em preto brilhante na Ghia.

Além disso, o Mondeo incorporou a tecnología ECOMode, que regula automaticamente a entrada de ar, reduzindo o consumo de combustível, as emissões de CO2, e o consumo elétrico inteligente, que desliga os equipamentos menos importantes para garantir o funcionamento dos itens mais sensíveis às variações de tensão da bateria.

Salão de Buenos Aires 2011: Duster cada vez mais perto

SUV chega em outubro ameaçando o EcoSport.
Versão topo será a 2.0 4WD.
Painel digno de um Sandero ou um Logan.
O velho EcoSport pode estar com os dias contados. O Duster é a arma da Renault para combater o sucesso de vendas da Ford, e é uma das estrelas do Salão de Buenos Aires.

O SUV foi desenvolvido pela Dacia e usa a plataforma de Logan e Sandero. Por isso mesmo, o Duster oferece dimensões generosas - são 4,03 metros de comprimento, 2.67 m de entre-eixos, 1,80 m de largura e 1,70 m de altura. Mas não é só no espaço interno que a Renault aposta suas fichas.

O design é um dos destaques do Duster. Concebido para transmitir robustez, o SUV possui uma grade frontal diferente de seu irmão da romêeno, com três barras cromadas adornando o losango da Renault. Os para-lamas pronunciados e a linha de cintura alta contrastam com traços mais simples, facilmente associados com o Sandero - que, a exemplo do Duster, foi concebido para mercados emergentes. Em termos de estilo, o Duster está bem longe de ser uma unanimidade, mas deve conquistar vários fãs.

O interior compartilha várias peças com o Sandero, mas tem diferenças em relação ao hatch. O acabamento usa materiais simples, como nos outros modelos com projeto feito pela romena Dacia. Assim como seus parentes, o Duster deve oferecer espaço suficiente para até cinco passageiros.

O Duster já está sendo produzido na fábrica de São José dos Pinhais, no Paraná, e será exportado para alguns países da América do Sul, como a própria Argentina. Por aqui, o carro terá duas opções de motorização (1.6 e 2.0, todas flex) e opção de tração 4x4. O lançamento oficial do Duster no Brasil está marcado para outubro.

Fiat finalmente lança Bravo T-Jet, por R$ 68.950

Versão esportiva chega como a mais cara versão do hatch médio.
Versão se destaca pela exclusividade da cor amarela e pelo motor 1.4 de 152 cv.
A Fiat finalmente lançou a versão esportiva do Bravo, a T-Jet. O modelo conta com o motor 1.4 16V Turbo e sai pelo preço de R$ 68.950.

Por fora, a versão esportiva do hatch se diferencia pelos faróis de máscara negra, rodas de 17 polegadas, saias laterais e saída cromada de dupla escape.

Já no interior, a inscrição Overbooster está presente nas soleiras e o modelo vem com acabamento esportivo, como pedais e apoios de pé e volante, freio de mão e alavanca do câmbio em couro com costuras vermelhas.

Na versão T-Jet, o Bravo vem de série com controle de tração e estabilidade, assistente de descida, ar-condicionado de duas zonas, airbag duplo, freios ABS, volante com comandos de rádio, faróis de neblina, suspensão com regulagem esportiva e pinças de freio dianteiras e traseiras pintadas de vermelho. Como opcional, o proprietário conta com sete airbags, faróis de xenônio e rodas aro 18.

No motor, um 1.4 16V Turbo gera 152 cv de potência e 21 mkgf de torque (a 2.250 rpm). O propulsor vem com a função Overbooster, que, quando ativada, aumenta a pressão do turbo e o torque vai para 23 mkgf. O motor está acoplado a uma transmissão manual de seis marchas.

O Bravo T-Jet chega R$ 3.120 mais caro que o irmão mais velho, o Punto T-Jet (R$ 65.830).

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Salão de Buenos Aires: A Space é off-road!

A SpaceCross será chamada de Suran Cross na Argentina.
No para-choque, "Suran Cross" em alto relevo.
Foi em 2006 que a Volkswagen apresentou a versão aventureira da SpaceFox, então conhecida como SpaceFox Cross, no Salão de São Paulo. Na época, o lançamento do modelo nos meses seguintes era dado como certo por alguns, logo que o projeto foi sendo esquecido. Só agora, cinco anos depois, é que a perua derivada do Fox ganha sua versão "off-road", apresentada no Salão de Boi nos ares.

A SpaceCross segue a receita usada no CrossFox, que abusa dos acessórios com pretensão fora-de-estrada. Os para-choques e para-lamas ganharam novo visual com os apliques em plástico preto e os faróis de neblina. Nas laterais, as portas são decoradas com um adesivo alusivo à versão e a SpaceCross tem estribos laterais e capas dos espelhos retrovisores tingidas de cinza. Atrás, há um aplique de plástico na parte inferior do para-choque, com o nome da versão em alto relevo. A VW optou por não equipar a perua com o suporte para estepe utilizado no CrossFox.

A Volkswagen não divulgou fotos do interior do modelo. O motor que equipa a SpaceCross é o conhecido 1.6 usado nas outras versões da SpaceFox. Por aqui, o propulsor ganhará a tecnologia flex. A lista de equipamentos é generosa e inclui ar-condicionado, direção hidráulica, trio elétrico, airbag duplo, freios ABS, faróis de neblina, espelhos retrovisores com luzes de seta e rodas de liga-leve de 15 polegadas. Haverá também a opção da transmissão automatizada I-Motion. A SpaceCross, que na Argentina será conhecida como SuranCross, chega aqui no segundo semestre de 2011.

Salão de Buenos Aires 2011: O futuro do Cobalt

O brasileiro terá linhas menos conceituais.
Quem visitar o Salão de Buenos Aires vaiprestar bastante atenção no Cobalt Concept. O sedã, que é uma das estrelas da Chevrolet no evento, antecipa as linhas do modelo que deve chegar aqui até o ano que vem.

Desenvolvido pelo Centro Tecnológico da General Motors na América do Sul, o Cobalt pode até ser confundido com um Agile sedã. O visual da dianteira reforça um possível parentesco, mas as semelhanças param por aí. O Cobalt é um projeto com características próprias, classificado pela GM como um carro "versátil".

O DNA global da Chevrolet aparece em vários detalhes. A grade frontal é cortada por uma barra horizontal, igual o Malibu, e os faróis são iguais a Captiva. Olhando de trás, as lanternas translúcidas dão um toque de esportividade e o desenho da tampa traseira lembra o bom Vectra. Alguns elementos dificilmente chegarão às ruas, como os faróis auxiliares com LEDs e o teto panorâmico de vidro.

Segundo a GM, o Cobalt poderá receber uma gama abrangente de motores com quatro cilindros, em uma faixa de cilindrada que vai de 1.3 a 1.8, e com transmissões manual ou automática. A montadora afirma que o projeto foi concebido pensando nas motorizações flex.

Por dentro, o painel segue o conceito dual cockpit, que consiste em um painel de formas simétricas para motorista e passageiro. O acabamento tem dois tons de cinza, batizados de Urban Silver e Very Light Platinum. Existem detalhes vindos de outros modelos da Chevrolet: o volante é o mesmo do Cruze e o painel digital lembra o do Spark.

O protótipo exibido em Buenos Aires conta com GPS integrado ao painel e duas telas de sete polegadas para os bancos de trás, instaladas nos apoios de cabeça dos bancos da frente. O Cobalt deve substituir o Astra nos dois países, e a GM pretende vendê-lo por algo em torno por R$ 38 mil. A versão de entrada deve contar com o motor 1.4 Econo.Flex, já usado no Agile. Uma eventual opção mais cara teria o motor 1.8 com melhorias para render em torno de 140 cv.

Honda mostra perua Fit no Japão

A versão híbrida do Honda Shuttle concorrerá com Prius, no mesmo volume.
Linhas cheias de vincos e tal.
Painel à direita o diferencia do Fit hatch.
A Honda mostrou hoje de manhã no Japão a versão perua do Fit, o Fit Shuttle.

A proposta do Shuttle é original, mas o design não deve agradar tanto assim. A equipe de desenhistas da Honda resolveu manter o estilo do Fit, usando os mesmos faróis, lanternas e portas do monovolume. Um velho ditado diz: - Gosto não se discute. Mas, olhando de lado, a impressão é que o Fit foi “esticado” em alguns centímetros para levar mais bagagem.

Deixando a parte estética de lado, é no conteúdo que o Fit Shuttle seduz. A versatilidade de seu irmão menor é repetida na perua, que oferece a comodidade dos bancos modulares. Eles podem ser dobrados, rebatidos e até retirados do interior do veículo, abrindo espaço para o transporte de objetos de grande porte. Com os bancos traseiros na posição normal, o carro comporta até 590 litros.

No motor, o Shuttle conta com duas opções de motorização. A mais tradicional é a 1.5 i-VTEC, que já é usada nas versões mais caras do Fit. A novidade fica por conta da versão híbrida. A perua é impulsionada por um sistema híbrido-paralelo, que utiliza como principal fonte de energia o motor 1.3 i-VTEC a combustão. Há também outro propulsor, movido a eletricidade, que é carregado pela conversão da energia cinética em eletricidade, realizada durante as frenagens e desacelerações. Para completar, o Fit Shuttle híbrido oferece o Eco Assist, que auxilia o condutor a dirigir de forma a economizar combustível.

Todas as versões são equipadas com controle de estabilidade - chamado pela Honda de VSA - e existe a opção de tração integral, que garante mais segurança em situações críticas. O modelo híbrido conta, de série, com a transmissão CVT, que suaviza as trocas de marcha e proporciona maior economia de combustível. A má notícia para nós, brasileiros, é que não há previsão de a Honda fabricar a Fit Shuttle por aqui.

Conheça a hisória do Honda Fit!

domingo, 12 de junho de 2011

Carros de História: Honda Fit

O Honda Fit/Jazz foi lançado em junho de 2001 (no Japão)
Adotou o segmento das minivans compactas.
Painel relusente que lembrava o Civic da época.
Embora o Fit é agora um dos modelos globais da Honda, que sofreu uma progressão muito lenta, uma vez que fez o seu caminho ao redor do mundo, ele agrada ao olhar de um simples leigo. O carro estreou em junho de 2001 no Japão. Foi então introduzida na Europa (no início de 2002), Austrália (final de 2002), América do Sul (início de 2003), Sudeste Asiático (meados de 2003), China (meados de 2004) e México (final de 2005). Um modelo de produção para os mercados americano/canadense estreou em 8 de janeiro de 2006 no Salão de NAIAS, em Detroit. O carro foi lançado no Canadá em 3 de abril de 2006, e nos EUA em 20 de abril de 2006. Diferentemente da maioria dos modelos da Honda, que tradicionalmente as gerações de seus carros durem 4 ou 5 anos, a atual geração do Fit continuará por um longo período em linha, devido à sua publicação demorada na América do Norte.

Dependendo da região, o Fit é equipado com um motor 1.2, 1.3, 1.5 i-DSI, ou um 1.5L V-TEC (isso no Japão). Todos os quatro motores são baseados no motor Honda L-Series. Os motores 8V i-DSI (Dual Sequencial Intelligent) utilizam duas velas por cilindro, permitindo uma queima mais completa da gasolina, reduzindo assim o consumo de combustível e as emissões, permitindo para o torque máximo em rotações intermediárias. O motor V-TEC 1.5 tem a configuração típica de 16 válvulas. Os motores estão acoplados a uma caixa manual de 5 velocidades, automática de 5 velocidades ou transmissão continuamente variável (CVT), novamente dependendo da região. Duas formas do CVT eram oferecidas: o regular e o CVT-7. O CVT-7 tem a tradicional escolha da gearless mudando, e um fluxo suave e contínuo de corrente com a opção adicional de sete, controlado por computador ou por paddle-shifts na coluna de direção.

Aqui no Brasil, ele era equipado com um 1.0 (90 cv), 1.4 (115 cv) e um 1.6 V-TEC (120 cv). O 1.6 V-TEC era o único motor (do Fit) que usava comando de 16 válvulas (na segunda geração, todos ganharam 16V).
O Fit Sport foi lançado em 2006, menos no Brasil.
O carro também era usado em corridas.
Anos depois foi lançada a versão esportiva, o Fit Sport, em 2006, como parte da linha 2007. Ele tinha motor 2.0 de 155 cv, o que era o diferencial da versão. Ele tinha cores perolizadas como o Azul Nacre [foto], Vermelho Indena e Prata Kobyiana. A versão Sport saiu de linha em 2007.
O Fit reestilizado foi lançado em 2008.
Duas coisas inéditas vieram: o amarelo e LEDs nas lanternas traseiras.
Painel chegava a ser mais moderno que o de Civic e Accord.
O Honda Fit é chamado de Jazz na Europa, África, Ásia e Oceania.
A Honda anunciou planos para iniciar as vendas em 26 de outubro de 2007 do all-new Honda Fit/Jazz no Japão. O Fit ganhou popularidade como um carro pequeno que apresenta embalagens em circulação, excelente economia de combustível e estilo avançado.

A segunda geração do Fit foi desenvolvida seguindo a tradição de, no máximo um Honda masculino, e o conceito mínimo da máquina com o objetivo de criar o carro ideal para uma nova era. Para fornecer os valores que excedam as expectativas dos clientes para um carro pequeno e estabelecer uma nova referência no segmento de carros pequenos altamente competitivo, a carroceria, a utilidade e performance de condução foram ainda mais avançados com o novo Honda Fit.


A carroceria do novo Fit é baseada no layout inovador da Honda no centro do tanque, com uma maior distância entre-eixos e vias mais largas para o espaço interior e funcionalidade melhorada, combinada com a capacidade de manobra de carros pequenos de um mínimo de 4,70 m de raio de giro. Um engenhoso esquema interior ajudou a criar uma cabine confortável, com espaço equivalente a um sedã médio.


O desempenho do novo Fit é possibilitado por um recém-desenvolvido motor 1.3 VTHC que oferece potência máxima de 141 cv. Combinado com uma transmissão continuamente variável (CVT) e conversor de torque desenvolvido recentemente, o motor fornece a condução agradável e líder da categoria: 24 km/l na economia de combustível. A rigidez corporal e desempenho de segurança de travamento foram reforçados, mantendo peso equivalente ao da geração anterior. Além disso, o chassi do novo design também ajuda a alcançar um conforto superior e manuseio constante.
Recentemente adicionado à linha Honda Fit é a versão RS [foto acima, que destaca um personagem alegre e sofisticada, com um recém-desenvolvido motor i-VTEC 1.5 e uma suspensão especialmente projetado com estilo aprimorado e uma rica sensação. 

No Brasil, ele chegou em janeiro de 2008, junta com uma nova opção de motorização: o 1.5 V-TEC de 125 cv.
Em 2008, o Fit Sport entrou em cena novamente. Agora, mais potente: um motor 2.0 de 170 cv. Dessa vez, ele vinha apenas na cor Vermelho Indena.
Em 2010 foi lançado o Jazz Hybrid...
...em uma cor chamativa (e híbrida)...
...com painel black piano...
...e sistema Econ.
Contínuo compromisso da Honda de tecnologia híbrida. O lançamento da mais recente adição da marca é o Jazz Hybrid, da primeira vez em que um veículo híbrido paralelo está disponível para os consumidores do segmento B. É importante ressaltar que o Honda Jazz híbrido não perderá sua praticidade, com a natureza compacta do sistema IMA da Honda permitindo que o carro do segmento B para manter a seu ultra-flexível espaço de 300 litros no porta-malas.

A bateria IMA e da unidade de controle de potência foram integradas na área sob o piso da bagageira, mantendo a área de boot normal e permitindo que os "assentos Magic" dobrem da mesma maneira como as versões não-híbridas. Com os bancos rebatidos, o espaço do porta-malas é de surpreendentes 831 litros.

O sistema híbrido IMA é compartilhado com o Insight e o CR-Z, aproveitando-se da confiabilidade comprovada desta importante tecnologia. Com quase duas décadas de desenvolvimento e 10 anos de vendas por trás dele, o sistema Honda IMA provou ser um sistema flexível e confiável, com mais de meio milhão de veículos na estrada beneficiando da sua combinação de baixas emissões e economia de combustível.

O novo modelo possui o sistema IMA, o mesmo do híbrido Insight, utilizando o mesmo motor 1.3 i-VTEC, assim como seu irmão híbrido dedicado. O sistema IMA é combinado com uma caixa de câmbio CVT do Honda Jazz e com emissões de apenas 104 g/km de CO2, que tem a menor emissão de CO2 de um carro automático no segmento B. Como um híbrido, o novo carro tem níveis ultra-baixos de outras emissões de escape, e não apenas elementos passivos.
O híbrido é vendido apenas nos lugares onde ele é chamado de Honda Jazz.

sábado, 11 de junho de 2011

Mega parceria com AutoShopping Internacional

O CoMdC acaba de fazer a maior parceria do blog: com o AutoShopping Internacional. Abaixo, segue o release do shopping.

Sobre o AutoShopping Internacional
A alta nas taxas de  juros e o fim da redução de IPI tem feito com que os consumidores procurem por vantagens na hora de comprar um carro novo. A melhor valorização do veículo usado é um dos principais atrativos do AutoShopping Internacional, um dos primeiros empreendimentos do gênero e maior do Brasil no ramo. As avaliações chegam a ser até 15% maiores dos que nas concessionárias.
A venda de carros zero quilômetro é feita há cerca de um ano pelo estabelecimento, que também comercializa usados. No total, há cerca de 1,5 mil opções de modelos e marcas disponíveis. “O shopping surgiu como espaço destinado à venda de usados, mas decidimos vender veículos novos para aumentar a competitividade das  lojas e oferecer mais opções aos clientes”, explica Alexandre Dias, diretor de Marketing e Varejo da General Shopping Brasil, empresa proprietária do Auto Shopping Guarulhos e de mais 12 shoppings.
 Segundo a Anfavea (Assoc. Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores), no mês passado, foram vendidas 289,1 mil unidades e em março 306,1 mil. Na comparação entre abril deste ano e o mesmo mês do ano passado, quando foram vendidas 277,8 mil unidades, houve crescimento de 4,1%.
 Inaugurado em 2006, o local conta com 48 lojas. Por ser um shopping temático, especializado em automóveis, ele ainda oferece uma série de serviços para que os compradores tenham maior comodidade e segurança. Ao comprar um veículo, novo ou usado, o cliente tem à disposição financeira, despachante, seguradora. Visando maior conforto ainda há uma praça de alimentação e estacionamento com 200 vagas.

Usados
O carro usado dado com entrada para a compra de um novo, posteriormente é comercializado no próprio Auto Shopping. Além de contar com prazo de financiamento de até 60 meses, a exemplo dos novos, os interessados por veículos semi-novos têm como principal vantagem a procedência garantida, em que todos os veículos recebem um laudo de certificação veicular.
Entre os clientes do Auto Shopping destacam-se os homens com idade entre 25 e 34 anos. No entanto, as mulheres também estão entre os consumidores que compram no local.

Sobre a General Shopping
A General Shopping Brasil iniciou suas atividades em 1989 e hoje está entre as líderes do ranking nacional de shopping centers. É uma das seis empresas de capital aberto do segmento no País, com ações negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), e a maior no estado de São Paulo. Possui 13 shopping centers em operação, dos quais detém uma participação média de 83,7%  em ABL. Juntos somam 225 mil m² de Área Bruta Locável (ABL), sendo 190 mil m² de ABL própria. No total, seus shoppings têm 1.303 lojas.

Veja o site!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...