sábado, 30 de abril de 2011

Comparativo CoMdC: Fluence x Jetta x 408

Da esquerda para a direita: 408, Jetta e Fluence. [Foto/Divulgação: Revista Autoesporte]
Com a nova leva de sedãs médios por aí, o CoMdC decidiu fazer seu primeiro comparativo entre os novos sedãs médios. No ringue, colocamos o sucesor do 307 Sedan, o belo 408: com design baseado no 308, tem traseira charmosa, para não cometer o erro do 307 Sedan, e um pacote de equipamentos que dá para o gasto com o 307. Entra também o Jetta: novato no segmento dos sedãs médios, o Jetta é um carro bonito e com bons equipamentos, mesmo tendo descido de categoria (que antes concorria com o Fusion). E, para completar, temos o Renault Fluence: substituto do Megane, o Fluence é um carro bonito, grande, robusto e preço e acabamento de deixar de boca aberta. Agora, chega de papo e vamos ao combate!

3º lugar: Volkswagen Jetta 2.0 Comfortline
Com visual bonito, o Jetta custa R$ 70.005, mas é o menos equipado dos três.
Se o Jetta é um sedã bonito e com bom preço, por que ele ficou em terceiro? Bom, o pacote de equipamentos do Jetta é pequeno, comparado ao dos rivais. Ele vem com quatro airbags, mas não vem com o controle de estabilidade (ESP), nem como opcional, enquanto 408 e Fluence vem com 6 airbags e ESP de série. O Jetta vai mal em desempenho, apesar do motor 2.0 de 120 cv, enquanto na geração anterior tinha um 2.5 de 170 cv. O Jetta tem apenas 1 ano de garantia, enquanto os rivais tem 3 anos.

RESUMO: Se você queria um sedã com charme, você pode optar pelo Jetta. Mas, se você quer equipamentos de segurança de série, opte por 408 ou Fluence. E, se você tem pouco din-din e não liga para os equipamentos, vá de Jetta mesmo.

2º lugar: Peugeot 408 2.0 Feline
O 408 sem dúvidas é o mais bonito do comparativo, tem bom preço para quem espera um bom Peugeot.
Se você se decepcionou (igual à eu) quando viu a primeira foto da traseira do 307 Sedan, você não precisa de decepcionar com o 408. Com visual inspirado no sucessor do 307 (o 308), o 408 tem bom motor, bom preço, bom pacote de equipamentos e, boa traseira. O 408 2.0 Feline, custa R$ 74.990, o segundo mais barato do comparativo e o segundo mais caro do comparativo. Seu motor é mais potente que o do Jetta, gera 151 cv. Mas o câmbio não fala o nosso idioma, além de ter só 4 marchas, o câmbio tem menos vivacidade nas trocas de marcha, especialmente nas reduções. O pacote de equipamentos da versão Feline é bom: seis airbags, ESP, sensor crepuscular (de chuva e de estacionamento) e teto solar (tudo de série). Ele agrada nos requintes como para-brisa com tratamento acústico, pedais de alumínio e retrovisor interno eletrocrômico.

RESUMO:  A Peugeot está começando a conhecer o que um sedã médio precisa (para não cometer o erro do 307 Sedan). Bom pacote de equipamentos, preço justo e, exterior bonito. Quem se lembra vai concordar comigo, os velhos 405, 406 e 407 eram bons sedans, mas não o suficiente ao 408.

1º lugar: Renault Fluence 2.0 Previlège
O Fluence substituiu o velho Megane e, apesar de ser o mais caro do comparativo, vale a pena.
O Fluence é equipado com motor 2.0 16V CVT, e é bom nas frenagens, ficou atrás apenas do Jetta. O carro tem um bom visual e, chega com tudo no segmento (e já ficou entre os 50 mais venidos da 1ª quinzena de abril). No interior, o Fluence só é menos equipado que o 408. Ele tem seis airbags, ESP, GPS (de série) faróis de xenônio e etc. Ele tem alguns errinhos no acabamento: tem vãos irregulares e uso de plástico com qualidade inferior nos frisos dos puxadores de porta. Mas tem bancos de couro (que vêm de série) e forração do porta-malas superior ao do Jetta. À primeira vista, o Fluence impressiona com seu porte, que parece o de um Malibu. E, por dentro, chamam atenção o painel e as laterais das portas, com revestimento em duas cores (prata e black piano).

RESUMO:  O Fluence é o mais vendido dos três e, o mais confortável e o com maior porta-malas (inspirado no do coreano Samsung SM7). Apesar de ser o mais caro (R$ 75.900 na versão Previlège), o sedã vale a pena pelo visual, equipamentos e garantia Renault.

PREÇOS:
Jetta 2.0 Comfortline: R$ 70.005
408 2.0 Feline: R$ 74.990
Fluence Previlège: R$ 75.900

RESUMO FINAL:
Se você quer um sedã barato, vá de Jetta. Se você quer um bem equipado, vá de 408. E se você quer um sedã bonito e confortável, vá de Fluence.

Toyota proíbe site 'Notícias Automotivas' de falar de seus carros

Corolla S americano, que de acordo com o site NA, chega no início de 2012
Um mês atrás, o site 'Notícias Autootivas' publicou uma matérie, em que um leitor flagrou o Corolla S andando no Brasil e, de acordo com o site, chega no início do ano que vem. Um mês depois, uma advogada da Toyota requeriu não só a retirada das imagens postadas no site, como também a proibição de publicação de matérias sobre a Toyota. Uma forma de censura, e de ferimento da liberdade de imprensa. O argumento defendido é que o vazamento dessas imagens irá quebrar o possível atrativo entre o Corolla S (que será lançado ano que vem, como linha 2013) e um possível futuro consumidor.

Indignado, o Notícias Automotivas publicou uma postagem, explicando sobre o que aconteceu exatamente entre ele e a Toyota. Leia aqui!

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Land Rover lança Defender RAW no Brasil

Série especial custa R$ 148 mil (duas portas).
A Land-Rover iniciou as vendas da série especial RAW da Defender. Serão oferecidas apenas 30 unidades nas versões:
Discovery 90 (duas portas): R$ 148.800  / 110 SW (quatro portas): R$ 155.150.

A Defender RAW traz acabamento preto nas caixas de roda e no teto, pneus todo-terreno, grade dianteira exclusiva e detalhes em alumínio. Há também faróis com contorno negro e lanternas com LED.

O motor 2.4 a diesel gera 120 cv e disponibiliza 37 kgfm de torque. Há duas opções de cores para o veículo: Prata Zermatt e Bronze Nara.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Chery lança oficialmente QQ por R$ 22.900

O pequeno QQ (pronuncia-se quiu-quiu, ou kiu-kiu), da marca Chery, foi lançado oficialmente hoje e é o carro mais barato do Brasil, já que seu preço de R$ 22.900 é mais baixo que o do Mille em sua versão de entrada, a Economy, que sai por R$ 23.220. As concessionárias da montadora já estavam aceitando pedidos desde o começo do ano do modelo, que só agora chega às lojas.

De série, o QQ vem completo: ar-condicionado, direção hidráulica, trio elétrico, CD/MP3, airbag e ABS. Além disso, o chinês vem com quatro portas e rodas de 13 polegadas.

Debaixo o capô, o QQ tem propulsor Acteco 1.1 16V a gasolina, que gera 65 cv de potência e 9 mkgf de torque a 3.500 rpm. Segundo a Chery, o QQ acelera de 0 a 100 km/h em 14 segundos e atinge velocidade máxima de 125 km/h.

Saiba mais sobre a Chery no Brasil.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Celta tira Suzuki Fun e Classic hatch de linha na Argentina

O Celta chega na Argentina para tirar de linha o clone Suzuki Fun e o Corsa Classic hatch.
Depois que a GM encerrou a parceria com a Suzuki (o acordo começa a valer em julho) na Argentina, a montadora decidiu relançar o Celta no mercado argentino, agora com seu nome original. Embora estivesse à venda por lá desde 2002, o compacto usava o logotipo da Suzuki, e também tinha o nome "Fun".

Na Argentina, o papel do Celta será substituir o antigo Corsa Classic hatch – descontinuado aqui em 2002. Como no mercado brasileiro, o Celta será oferecido nas versões LS e LT, com opção de três ou quatro portas. Entretanto, ao invés do motor 1.0 VHCE Flexpower, o Celta terá um motor 1.4 a gasolina, de 90 cv, que por lá já é usado no Classic e no Agile.

A lista de equipamentos de série do Celta argentino não oferece muitos itens. A versão LS conta com ar quente, rodas de 13 polegadas, sistema de som com MP3, Bluetooth e entrada auxiliar USB. Já a versão LT agrega: ar-condicionado, direção hidráulica e rodas de 14 polegadas. Assim como no Brasil, a rede de concessionárias Chevrolet vai oferecer vários acessórios para personalizar o carro.

Os preços do Chevrolet Celta na Argentina começam em 44 mil pesos – o equivalente a 17 mil reais – para a versão LS três portas e vão até 50.500 pesos (ou 20 mil reais) na versão LT com cinco portas.
Esse é o Classic hatch, aqui chamado de Corsa hatch. Lá, ele sai de linha e dá espaço ao Celta.
Saiba a história do Chevrolet Celta.
Saiba sobre o Celta 2012.

domingo, 24 de abril de 2011

Carros de História: VW Apollo

O Apollo foi produzido entre os anos 1990 e 1992, junto com o Ford Verona que foi até 1996.
Na década de 90, a Volkswagen e a Ford se uniram formando uma parceria, que ficou conhecida como "Autolatina". A partir dessa união, inédita, surgiram o Volkswagen Apollo e o Ford Verona, que eram carros bastante semelhantes.
O Volkswagen Apollo era praticamente uma versão topo-de-linha do bastante semelhante Verona, que era baseado no Ford Escort comercializado na Europa, com linhas mais esportivas.
O Apollo foi um carro bastante luxuoso, até mesmo em suas versões mais econômicas. Esse fato foi decisivo para que o Volkswagen Apollo saísse de linha dois anos depois de seu lançamento.

O Volkswagen Apollo foi produzido entre os anos de 1990 e 1992 quando deixou lugar para o sedã maior Logus e o hatchback Pointer.
O Apollo era equipado com o motor AP 1.8 de 95 cv carburado (três estágios na versão a álcool e dois na versão a gasolina) produzido pela Volkswagen ele possuía um câmbio de relativamento mais curto do que o seu primo Verona, isso fazia com que o carro se tornasse mais "esperto". Sua suspensão era mais firme que a do Verona, devido a seus amortecedores.

Estéticamente o Apollo tinha para-choques na cor do carro, lanterna fumê, spoiler na traseira e frisos, volante e outros detalhes com a nomenclatura VW.

Suas versões!

O Volkswagen Apollo foi produzido nas versões GL, GLS e Vip (uma série especial limitada).

Apollo GL

O Volkswagen Apollo GL era a versão mais simples do Apollo, não era um carro tão luxuoso quanto às outras versões, mas valia a pena.
Apollo GL, versão topo-de-linha do Apollo.
Propaganda em uma revista da direção hidráulica do Apollo.
Esse era o Apollo GLS, versão mais luxuosa e bem equipada do Apollo.

Apollo GLS

A versão GLS do Apollo foi a versão mais completa do Apollo, perdendo apenas para a versão VIP ,que foi apenas uma versão especial. Esse carro possuía itens de luxo e acabamento com tens de uma mesma cor, ar condicionado, ar quente, desembaçador traseiro, direção hidráulica, alarme, vidros elétricos, travas elétricas e rodas de liga-leve. E alguns GLS tinham até teto solar.

O Apollo GLS chegou a ser comercializado até o ultimo ano do Apollo, 1992.
Traseira do Apollo GLS, que tinha farois da mesma cor da carroceria (se fosse vermelha, claro).

Apollo VIP

A versão VIP do Apollo foi uma série especial e limitada, e ainda era mais luxuosa que a versão GLS.

A série VIP era a versão intermediária do Apollo, mas era mais bem equipada do que a GLS.

Você sabia que...

O Apollo foi produzido nas cores branco, vermelho, vinho, preto, dourado e prata.

Existem alguns Apollo com motor 2.0, no entanto são carros adaptadosmas por que são todos tunados.

O Volkswagen Apollo não é um clone do Ford Verona, eles possuem algumas diferenças, sendo a principal o motor APm utilizado pelo Apollo e o CHT 1.6 utilizado no Verona.

Existem muitos Apollos com teto solar, não é tão difícil encontrar um rodando pelas ruas, mas vale a pena ver um.

O Apollo saiu de linha em 1992 e, foi substituido direto pelo Logus, que criou um irmão, chamado Pointer, que era a versão hatchback do Logus.

sábado, 23 de abril de 2011

Salão de Shangai 2011: Audi Q3 de cara com o X1

O Q3 tem design arrojado, e foi inspirado no Q7
O Q3 vai encarar o BMW X1 na Alemanha
Na atual gama de modelos da Audi, a letra "Q" é reservada para os utilitários esportivos. O Q7 foi o primeiro a ser lançado, em 2005, e o Q5 em 2008. Agora, quem está pronto para ganhar as ruas é o Q3, o caçula da linhagem de SUVs da marca das 4 argolas.

Com 4,40 m de comprimento, 1,85 m de largura e 1,60 m de altura, o Q3 é um legítimo Audi, pelo menos no estilo. A novidade tem os elementos de estilo que identificam os carros da marca alemã, como as fileiras de LEDs nos faróis, as lanternas arrojadas com refletores retangulares e a grade hexagonal. No geral, as dimensões reduzidas contribuem para um design mais esportivo. Os projetistas adotaram algumas soluções ousadas, como o teto com uma discreta queda e os traços mais retilíneos.

O interior prima pelo visual sóbrio, mas engana-se quem pensa que o luxo foi deixado de lado. O carro pode ser comprado com cinco opções de cores no interior e seis tipos de acabamento nos bancos e portas, incluindo três variedades de tecidos e três opções de couro. Além do acabamento esmerado, a cabine do Q3 oferece itens presentes em modelos mais luxuosos, como o sistema MMI - que controla diversas funções multimídia do veículo - e som [HQ] feito pela Bose.

O utilitário esportivo terá três opções de motorização, todas com quatro cilindros em linha. Os motores a gasolina são duas variações do 2.0 TFSI - com 170 cv à 210 cv - e equipam o Q3 desde seu lançamento. Já o propulsor 2.0 TDI a diesel, de 170 cv, chegará ao mercado nos próximos meses. A tração integral Quattro (já popular na Audi) é item de série na versão mais potente a gasolina e na opção a diesel. Quanto ao desempenho, o Q3 2.0 TFSI de 210 cv faz o carro acelerar de 0 a 100 km/h em 7 segundos e leva o veículo aos 230 km/h. Neste caso, a transmissão é a automatizada de sete velocidades S-Tronic.

O Q3 faz sua estreia mundial no Salão de Shangai, que acontece no fim de abril. O SUV será produzido na fábrica de Martorell, nos arredores de Barcelona, e chegará às concessionárias em junho. Na Alemanha, a versão de entrada vai custar 29.900 euros.

Salão de Shangai 2011: O Tiida renovado

O Tiida totalmente renovado quer alcançar a lista dos mais vendidos (em todo o mundo)
O novo Tiida quer deixar de fora as críticas.
Quem acompanha o blog, já sabe que o Tiida ia ficar igual as fotos acima. Em alguns mercados (como o Brasil), o Tiida nunca se firmou como um sucesso de vendas. Com o lançamento da nova geração do compacto - que é conhecido também como Versa em outros mercados, a Nissan espera, enfim, emplacar seu hatchback na lista dos carros mais vendidos.

O Tiida chegou à China em 2005 e, por lá, vai bem nas vendas (foram 85 mil unidades emplacadas no ano passado). Embora seja um modelo completamente inédito, o novo Tiida lembra um pouco o jeito de seu antecessor. Os faróis foram inspirados em outros modelos da marca, como o SUV Juke e o crossover Murano. De seus '"irmãos" vieram também a inspiração para os traços da lateral, com linha de cintura elevada e muitos vincos. A traseira chama atenção pelo vidro em forma de "V" e pelas lanternas, que podem ser translúcidas.

Por dentro, o aumento de 10 cm na distância entre-eixos resultou em mais espaço interno, principalmente para as pernas de quem viaja atrás e tem 1,85m. A Nissan diz que o interior do Tiida foi desenhado seguindo o conceito "Calmo e Refinado’". Independente do que isso significa, o fato é que o habitáculo do hatch está mais moderno, com o console central que dá a sensação de estar flutuando.

Na China, o novo Tiida será fabricado na cidade de Guangzhou, com data de lançamento prevista para maio deste ano. Após sua estreia no mercado chinês, o modelo também será vendido em vários países, até 2014.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Esse é de Páscoa! Wallpaper do Aventador e 300 SRT8

http://2.bp.blogspot.com/-myicSr6AB6k/TbIW4HTE3EI/AAAAAAAABbs/MSs97wXkEqM/s1600/aventador-08.jpg
http://2.bp.blogspot.com/-CDT7INzfzhg/TbIW12SbzVI/AAAAAAAABbo/OLKUZhzNttc/s1600/300-05.jpg

Mais uma parceria! Agora com o site Autos-Brasil!

O CoMdC acaba de fazer mais uma parceria, só que agora com o site Autos-Brasil!

Vale a pena visitar o site! http://autosbrasil.wordpress.com/

Em breve, novas parcerias!

Salão de Shangai 2011: O crossover-conceito da Peugeot

O SxC mostra linhas em futuristas, e foi feito pensando na China.
Portas juntíssimas são um dos detalhes do SxC.
Painel bem futurista que parece um robô.
A Peugeot mostra no Salão de Shangai o crossover-conceito SxC, criado no centro da marca na China. O objetivo com o protótipo é mostrar que a marca francesa está pronta para atender as expectativas de cada mercado no futuro.

O crossover tem traços de SUV, com porte robusto e posição de dirigir elevada, mas também possui linhas elegantes e futuristas, que remetem a sedãs da Pug. O SxC mede 4,80 m de comprimento, 1,60 m de largura e 2 m de altura.

Na dianteira o conceito exibe os novos códigos de identidade da Peugeot. A grade frontal parece se separar do restante da carroceria por conta da inclinação. Os faróis são de LED e lembram o olhar de um leão, o símbolo da marca.

Sob o capô, o motor THP térmico 1.6 produz 220 cv de potência. Ele se soma com um motor elétrico que gera 95 cv para as rodas traseiras, totalizando 315 cv de potência total. Segundo a Peugeot, o consumo médio do conceito é de 17 km/l e as emissões são de 143 g/km. É possível, ainda, rodar com o veículo em baixas velocidades com emissão zero.

Salão de Shangai 2011: A versão top da van JAC

A van Refine ganha sua versão topo-de-linha, batizada de Hechang.
A JAC Motors, que recentemente tem vendido bem no nosso mercado, apresentou no Salão de Shangai a versão topo-de-linha da van Refine. Batizada de "Refine Hechang", o modelo se destaca pela distância entre-eixos, que garante maior espaço interno para os ocupantes. Além disso, dependendo da configuração interna, garante acomodação para seis ou sete passageiros, uma vez que a última fileira de bancos pode ser inteiriça ou ter duas poltronas individuais.

Equipado com DVD no console central e duas telas nos encostos de cabeça dos bancos dianteiros, a Hechang oferece visualização em toda a parte traseira do veículo. Com ABS, EBD e airbag duplo como itens de série, a van apresenta design futurista, com fino acabamento e instrumentos no centro do painel.

Com câmbio manual de seis velocidades, o modelo conta com duas opções de motores. A versão a diesel desloca um motor 1.9 que rende 135 cv. Já o motor a gasolina é alimentado por turbo-compressor e possui 2 litros de cilindrada. Rende 175 cv de potência. Ambas as versões são capazes de ultrapassar a barreira de 170 km/h.

Salão de Nova York 2011: O facelift do Soul

O facelift dá ao Soul um balanço maior em termo de estética e mecânica.
As lanternas traseiras agora são de LED, assim como na dianteira.
A Kia mostrou no Salão de NY o leve facelift do Soul, que agora é modelo 2012. O modelo traz poucas novidades em termos de estética e mecânica.

Por fora, o Soul ganhou novos faróis, feixes de LED de luzes diurnas, para-choques redesenhados e lanternas também de LED.

Já na parte mecânica, o Soul agora vem com um novo motor 1.6 à diesel, com quatro cilindros e injeção direta de combustível, gera 135 cv de potência. Segundo a Kia, a economia é de 11,5 km/l em trajeto urbano. Um outro propulsor 2.0 também está disponível, mas ele foi revisto e agora entrega 160 cv, com consumo de 11 km/l na cidade.

As novas transmissões manual e automática de seis velocidades, já presentes no Cerato, chegam ao Soul, que aposenta o câmbio manual de cinco marchas e o automático de quatro.

Não postarei mais postagens do Salão de NY (este ano) por que ela já acabou, mas você fica na cobertura do Salão de Shangai.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Salão de Nova York 2011: Um 300 a mais de 400

O carro que você está vendo acima é o Chrysler 300 SRT8
A pintura branca deixa o carro ainda mais, vamos dizer, SRT8.
Além do 200S, o outro carro que a Chrysler apresenta em NY é o 300 SRT8. Com avassaladores 465 cv de potência, o sedã preserva o visual refinado, mas toques de esportividade, graças ao motor V8 PentaStar 6.4 (de 470 cv) que equipa o modelo.

No câmbio, a marca oferece opções para satisfazer o consumidor: há a possibilidade de escolher pela transmissão automática, de cinco marchas ou sequencial com trocas por meio do sistema paddle-shift. Neste caso, o SRT8 oferece ao motorista uma dirigibilidade mais esportiva, algo primordial num carro que atinge velocidade máxima com mais de 280 km/h.

Mas mesmo diante de tanta potência – o esportivo acelera de 0 a 100 km/h em menos de 5s. A Chrysler investiu também na redução de consumo. Segundo a montadora, o SRT8 apresenta um aumento de 25% na eficiência de consumo, graças a um sistema que permite ao V8 rodar no modo quatro cilindros.

Outra novidade é a suspensão Adaptive Damping (Amortecimento Adaptativo), que avalia informações como velocidade, torque de freio e aceleração para entregar o melhor comportamento possível em qualquer tipo de piso. O motorista pode, ainda, optar pelas opções “Auto”, que confere ao carro mais conforto ao dirigir, ou “Sport”, para os que gostam de esportividade.

Por fora, a aparência nervosa do sedã se faz presente em detalhes como os faróis de máscara negra, a grade frontal exclusiva e as belas rodas de liga-leve pintadas na cor preta. No interior, o SRT8 tem detalhes de fibra de carbono, volante forrado em couro e painel de instrumentos atualizado, que exibe em uma tela LCD de 8 polegadas, dados como ângulos do carro, potência e emissão de torque. O 300 SRT8 deve ser lançado no mercado dos EUA no terceiro trimestre de 2011.

Salão de Nova York 2011: O novo Civic

O novo Honda Civic tem poucas mudanças...
...mas dá para o gasto.

A Honda finalmente revelou a nona geração do Civic no Salão de Nova York, nas carrocerias sedã e cupê, cujo conceito foi mostrado no Salão de Detroit. Com visual quase idêntico ao modelo anterior, o modelo, que chega como versão 2012, teve apenas algumas mudanças estéticas.

Por fora, a grade, os parachoques e as lanternas traseiras foram redesenhados. No interior, há um novo volante, painel de instrumentos e console.

Sob o capô estarão disponíveis quatro motores: o modelo que mais deve vender terá propulsor a gasolina 1.8 que produz 140 cv de potência. Além desse, há um a gás natural 1.8, de 110 cv e 14,5 mkgf de torque.

A versão Si é a mais potente, que gera 200 cv no motor 2.4

Já o Civic na versão Si usa motor 2.4 com 200 cv e 23 mkgf de torque. A transmissão do modelo mais apimentado é manual de seis velocidades, que permite, segundo a japa, uma economia de 9 km/l em cidades e 13 km/l em rodovias.
O Civic Hybrid é a versão sustentável do Civic, que tem motor 1.5 a gasolina.
A versão sustentável do Civic 2012, o Civic Hybrid, conta com propulsor a gasolina 1.5 com um motor elétrico alimentado por uma bateria de íon/litio. Ambos produzem uma potência de 110 cv e 17 mkgf de torque. Também, segundo a montadora, a economia fica na casa dos 18,4 km/l tanto em cidades quanto em estradas.
O novo Civic custará em torno de US$ 15 mil a US$ 26 mil.
A versão 2012 do Civic chega às concessionárias da Honda com preços entre US$ 15.600 e US$ 26.800.
Esta é a versão cupê do Civic, com motor 2.0 a gasolina.

Salão de Shangai 2011: Conheça o Kia Rio Sedan

O sedã tem aparência similar ao Optima (K5) e tem desenho desenvolvido especialmente para a China.
O carro usa a mesma plataforma do Kia Rio hatch, só que ele é chamado de K2.
A Kia mostrou no Salão de Shangai o K2, conhecido como Rio Sedan em alguns países. O sedã médio foi feito em parceria com a Joint-Venture e a chinesa Dongfeng. Baseado na mesma plataforma usada pelo Kia Rio hatch, lançado no Salão de Genebra, o K2 será produzido na província chinesa de Jiangsu a partir de junho. A versão hatchback de cinco portas do modelo começa a ser fabricada em agosto.

Desenhado para o mercado chinês, o K2 tomou por base sugestões de estilo do sedã K5 (conhecido como Optima/Magentis na maior parte do mundo). A dianteira exibe a já famosa identidade visual da marca sul-coreana e conta com grandes entradas de ar.

A linha de cintura alta, as ventilações laterais e os recortes nas portas dão um tom mais esportivo ao modelo. Já a traseira apresenta um robusto pára-choque e porta-malas. Já as lanternas invadem os para-lamas.

O modelo também conta com volante em couro, sistema StartStop e chave inteligente. Serão oferecidos seis níveis de acabamento e dois motores a gasolina: 1.4 ou 1.6.

Salão de Shangai 2011: O novo crossover da Subaru

O XV Concept adota uma carroceria que lembra a perua Outback, de 1995.
A cor verde chama mais atenção do que o carro.
A Subaru foi uma das primeiras marcas a investir na fórmula que consagraria os aventureiros urbanos, com o lançamento da perua Outback, em 1995. 16 anos depois, a mesma receita surge no XV Concept, que assume o posto de estrela do Salão de Shangai deste ano.

Não é apenas pela reluzente pintura verde que o carro chama atenção. Os adereços off-road marcam presença, com direito a rack no teto, molduras pretas nos para-lamas e proteções na parte inferior dos para-choques que emulam as chapas de alumínio usadas nos veículos off-road. No entanto, os acessórios que sugerem uma aptidão para incursões em trilhas acidentadas param por aí.

O XV Concept foi concebido para rodar nas grandes cidades, que o digam as rodas de liga-leve calçadas com pneus de uso urbano. Por dentro, o visual futurista é realçado pelas três telas que exibem informações de navegação, sistema de som e computador de bordo. Outro equipamento é o sistema EyeSight, que capta imagens por meio de câmeras e as projeta em uma tela de LCD no centro do painel.

Se você gostou do protótipo, é melhor não se animar muito. A marca não confirmou se o XV realmente pode virar realidade. Por enquanto, certo mesmo é que o carro-conceito deve fazer uma turnê mundial por vários eventos mostrando o que a Subaru é capaz de fazer.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...