sábado, 24 de julho de 2010

Totalmente Brasileira: Parte 5

O PILOTO Ingo Hoffmann venceu várias corridas com uma Brasilia em 1974

Havia disposição até para competições. Foi numa Brasilia super preparada que o piloto Ingo Hoffmann, então iniciante, venceu o campeonato paulista da Divisão 3, em 1974. Por sua robustez, o modelo também foi muito usado em Rallys nos anos 70.
Mas nem tudo era perfeito. O motor ficava dentro do compartimento de passageiros (isolado por uma pequena tampa, que também servia de assoalho do porta-malas traseiro). Resultado: o ruído invadia o ambiente sem cerimônia.
E mais: na época havia o hábito de se lavar o motor, sempre que se dava uma geral no carro. E cada vez que isso era feito, as forrações é que ficavam sujas...
Outro problema era que, mesmo somando os dois porta-malas, não havia grande espaço para bagagem.
Mesmo assim, a Brasilia conquistou o amor do público. Só em 1975, foram vendidas 126 mil unidades no Brasil. Até lá fora o modelo nacional fez sucesso, sendo exportado para Portugal, Colômbia, Chile, Filipinas, Paraguai, Bolívia, Venezuela e Nigéria.
E foi além: entre 1974 e 1982, foram fabricadas 72.377 Brasilia no México - tanto que era o carro do Seu Barriga, no seriado ''Chaves'' ...
Ao longo do tempo, houve algumas transformações: em 1975, o motor passou a ter dois carburadores, tornando-se, mais ágil e econômico. Em conpensação, ficou mais difícil regular sua marcha lenta...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...