quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Nova geração? Não, apenas uma evolução (Renault Kangoo 2 1.5 dCi)

Sempre que um fabricante de automóveis anuncia uma nova geração, desconfiamos: mudanças no formato de lanternas ou de faróis, por exemplo, são tratadas como tal. Tome-se o caso do Kangoo: a Renault adicionou o numeral 2 ao nome do carro e anunciou a novidade como ''nova geração''. Não é. Mas não há como negar que o modelo evoluiu. A novidade chegou ao Brasil há alguns meses.

Na dianteira, pára-choque, grade e faróis são novos, um esforço para fazer o Kangoo ficar parecido com o irmão europeu, este sim, de uma nova geração. Nas laterais, algumas versões receberam apliques nos pára-lamas. É só. As dimensões continuam as mesmas e a Renault manteve as portas laterais corrediças dos dois lados. O Fiat Doblô, principal concorrente do Kangoo, só tem porta corrediça do lado direito.

A posição de dirigir é elevada, mas a falta de regulagem de altura e de profundidade do volante incomoda. O Kangoo nasceu como furgão de carga para até 800 quilos de capacidade, mas foi transformado para transportar passageiros. Em ambas as configurações, a ergonomia é sofrível. Os botões dos vidros elétricos dianteiros estão na parte inferior das portas em local de difícil acesso e o comando da trava elétrica fica escondido atrás da alavanca de câmbio. O painel mudou, mas o sistema de som ganhou comando satélite na coluna de direção, o mesmo usado em alguns modelos da marca.

PÉ DIREITO
As portas corrediças facilitam o acesso à segunda fileira de bancos. Três adultos têm bom espaço para as pernas e o teto é tão alto que poderia ser chamado de pé-direito. A novidade é a terceira fileira com dois bancos: cada peça pesa 30 quilos e pode ser retirada. Sem elas, o porta-malas leva até 2.600 litros de carga. A estrutura é do tipo estádio: a terceira fileira é mais alta que a segunda e esta é mais alta que a primeira. A visão panorâmica é de série em todas as versões.
Na Argentina, o Kangoo recebeu o 1.5 diesel de 65 cv usado no Clio, no Logan e no Mégane, antes vinha com um ''vibrante" 1.9.
No Brasil, o modelo é oferecido em quatro versões de acabamento, todas com um motor 1.8 8V bicombustível, uma delas furgão de cada e outra com apelo off-road.
Site oficial da Renault >>Clique aqui

FICHA TÉCNICA:
---Preço: 20.180 dólares (na Argentina)
---Motor: Dianteiro, transversal, 4 cilindros em linha, 1.5 16V
---Potência: 65 cv (4.000 rpm)
---Torque: 16,4 mkgf (2.000 rpm)
---Transmissão: Manual, 5 velocidades, tração dianteira
---Suspensão: Independente nas 4 rodas, McPherson (D), braços arrastados (T)
---Freios: Discos ventilados (D), tambor (T)
---Rodas e pneus: 175/65 R14
---Dimensões (comprimento / entre-eixos / largura / altura): 4,01m / 2,60m / 1,67m / 1,86m
---Peso: 1,300 kg
---Porta-malas: 60 litros (2.600 litros sem a terceira fileira de assentos)
---Tanque: 52 litros

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...