segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Toyota Corolla, a história

O Corolla é um modelo compacto da Toyota oferecido em versões sedan, hatchback e perua. Também é o modelo mais vendido da história, com produção nos cinco continentes e vendas totais superiores a 32 milhões de automóveis desde seu lançamento em 1966.Para ter uma idéia ,em média 1 Corolla é vendido a cada 40 segundos.
Em Portugal, a popularidade deste modelo aumentou significativamente com a introdução, em finais dos anos 80, do bloco 1.8 diesel, acoplado a uma caixa manual de 5 velocidades e que fez das versões comerciais veículos com alguma performance para a época mas, sobretudo, bastante fiáveis, os quais ainda encontramos em grande número nas nossas estradas de hoje.
Nesta época, encontramos ainda o célebre 1.6 GTI, o qual rivalizava em termos de eficácia dinâmica com o endeusado Peugeot 205 GTI.
Inicialmente no Brasil o Corolla começou a ser importado em 1993 na versão LE (que era fornecida para o mercado norte-americano), com um motor 1,8L 16v e 117cv.
Em 1994 foi iniciada a venda das versões DX e Wagon, onde a primeira tinha um motor 1,6L 16v e 106cv era notado um acabamento inferior, a seção entre as lanternas traseiras na cor cinza, calotas e a ausência de ABS e Cruise Control. As versões com câmbio automático não possuiam conta giros. Na versão Wagon era adicionado o motor 1,8 e ABS. Os modelos 1,8 tiveram a sua curva de torque priorizada e houve uma diminuição de potência, ficando com os mesmos 106cv da versão 1,6. O teto-solar era disponibilizado como opcional para os modelos LE.
Nos modelos 1996 as versões DX deixaram de ser importadas com a LE empobrecendo em acabamento e a retirada das rodas de liga como item de série, as lanternas traseiras passaram a ter os piscas na cor branca, a grande dianteira teve uma leve reestilização e o teto-solar deixou de ser disponibilizado.
Já em 1998 a versão européia passou a ser importada, chamada de GLi na versão sedã e XLi na versão perua, com um motor 1,6 16v e 107cv tinha um bom acabamento, mas o ABS deixava de ser oferecido, ficou pouco tempo no mercado, esses modelos apesar de confiáveis e confortáveis, tinham um estilo de gosto duvidoso, o que acabou por ocasionar sua forte desvalorização.
No fim de 1998 era iniciada a venda dos primeiros Corolla fabricados no Brasil, os quais eram parecidos com a versão japonesa, com o motor 1,8 de 116cv nas versões XLi, XEi e SE-G.
Diferenciavam entre si, em poucos equipamentos, diferentemente das versões posteriores.
Na XLi era notada a falta de conta giros e raros exemplares sem ar-condicionado, os retrovisores eram manuais e não havia a pintura das capas dos retrovisores e das maçanetas das portas e a régua que fica acima da placa e calotas.
A XEi possuia o conta-giros, A/C, e as peças do XLi que não eram pintadas, na cor do veículo.
A SE-G adicionava bancos e laterais em couro, ABS e rodas de liga-leve como itens de série.
Em 2001 houve um pequeno banho de loja onde a grade dianteira recebeu um aplique e uma faixa cromada nos pára-choques. Na parte interna o apoio de pé era adicionado junto aos pedais.
Em meados de 2002 foi lançada a 9° geração com bons equipamentos e fazendo um grande sucesso no público Brasileiro.
Em junho de 2007 foi lançado o Corolla flex, sendo a Toyota uma das últimas marcas a desenvolver o sistema de combustível duplo.

O Toyota Corolla XLi VVTi Flex é vendido no Brasil com motor flex que pode operar com gasolina E20-E25 ou álcool, ou qualquer mistura dos dois combustíveis.
O Corolla é considerado um carro muito econômico pelos especialistas, tendo um desempenho médio de 10km/l (cidade) e 15km/l (estrada) nas versões XEi, XLi e SE-G; variando de acordo com a localidade e com as versões automáticas, que consomem um pouco mais.
Líder do segmento entre 2002 a 2006, o Corolla perdeu essa colocação para o novo Honda Civic, lançado em 2006, e em Abril de 2008 a Toyota reagiu com a nova geração do Corolla. Mantendo um visual sóbrio, ao contrário de seu concorrente direto, o novo veículo apostou em equipamentos internos, tanto que um XE-i novo é mais completo que um Seg 2007 e um Honda Civic EXS (top de linha), custando 10 mil a menos que este. O SE-G novo ganhou um pacote de equipamentos comparável a veículos superiores (e preço também), e o Xli já vem bem equipado.
Pensando nos portadores de necessidades especiais, a Toyota disponibiliza sob encomenda o Corolla XLi aut 1.6, que com isenção total de impostos sai por R$ 44.000,00, tornando-se um excelente custo benefício.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

MINIDUB STYLE (Porsche Cayenne)

É bem verdadeiro o ditado: ''O que separa os homens de crianças é o tamanho de seus brinquedos''! A maior prova disso são esses minitunados, que trazem os acessórios idênticos aos de verdade. A iluminação dos néons e a sonzera funcionam mesmo, mostrando que não tem nada de brincadeira na montagem desses carrinhos.

Brincando de fazer arte
O trabalho desenvolvido nessa miniatura é responsabilidade do estudante Diogo de Oliveira, de 19 anos, dono da MiniSound em Goiânia. Há 5 anos ele compra as ''mini'' originais e aplica o tuning igual ao de um carro de verdade. A sua vontade em fazer uma sonzera num carro de verdade era tanta, que, estando sem condição de comprar um, resolveu fazê-lo em miniaturas. Hoje em dia ele as produz para venda e já conta com mais de 100 unidades espalhadas pelo Brasil e algumas no exterior. O investimento não é brincadeira, pois além do estoque de minipeças, são necassárias ferramentas específicas para a montagem.

Tudo é levado muito a sério
Seus projetos são inspirados em revistas estrangeiras e criações próprias. A matéria-prima utilizada é de primeira, com tintas da House of Kolors, além de uma linha própria com candys, flakes, camaleão, marmorizados, néons, entre outras.
Atualmente ele também tuna um carro de verdade, no centro automotivo de seu pai, e eles pretendem se especializar na área rapidamente. Sua família apóia bastante a investida. Anualmente ele participa de exposições específicas para as minis, além dos campeonatos promovidos pela 101% eventos.

Porsche Cayenne
Esta mini veio de São Paulo, para ser personalizada pela MiniSound, o trampo realizado nela foi:
-Pintura externa preto fosco;
-Alisamento das maçanetas;
-Néon externo vermelho;
-Rodas Spintek aro 22 cromo;
-Rebaixada (e continua andando normalmente) ;
Interior:
-Néon na cor vermelha;
-2 bancos concha;
-Nitro;
-12 subwoofers de 12'';
-12 falantes nas portas dianteiras de 6''
-Interior todo no floking branco;
-Tapetes de alumínio;
-2 telas de DVD;

A miniatura possui som de verdade, que funciona plugado a qualquer tipo de aparelho de som; foram necessários cerca de 2 meses para a realização deste trabalho.

sábado, 3 de outubro de 2009

Chevrolet S-10, a História


S-10 foi uma Pick-Up produzida nos Estados Unidos entre 1982 e 2004 e fabricada no Brasil de 1995 até atualmente. Ganhou o gosto popular, sendo a campeã de vendas de 1996 até 2005. Tem mecânica relativamente simples.

Anos e modificaçoes

  • 1995 - Início da produção da cabine simples nas versões Standard e Deluxe na única opção de motor à gasolina de quatro cilindros, o 2.2 EFI.
  • 1996 - Início da produção da cabine estendida (apenas S10 Deluxe) e dupla, a linha passa a contar com dois novos motores, o quatro cilindros 2.5 Maxion Turbo Diesel de 95 cavalos (apenas cabine dupla) e o 4.3 V6 Gasolina de 180 cavalos(apenas cabine estendida) disponível apenas na versão Deluxe.
  • 1997 - Os modelos passaram a utilizar 5 elementos de fixação em cada roda (anteriormente eram 6).
  • 1997 - Início de fabricação da S10 Cab. Simples Deluxe 4.3 V6 Gasolina, e estendida à diesel.
  • 1997 - Em outubro, chega as lojas a linha 98, e as modificações baseiam-se no motor à gasolina de quatro cilindros, que de EFI, torna-se 2.2 MPFI.
  • 1998 - Início da S10 Cab. Dupla Deluxe 4.3 V6 Gasolina.
  • 1998 - S10 Deluxe Champ 98 com motor 4.3 V6 Gasolina(cabine simples), e cor verde - Referência à Copa da França.
  • 1998 - Neste ano inicia a fabricação das S10 e Blazer, com tração 4x4, nos motores 2.5 Maxion Turbo Diesel(exceção, cabine estendida) e 4.3 V6 Gasolina.
  • 1998 - Último ano das S10 Deluxe e com o motor à gasolina de quatro cilindros 2.2 e da cabine estendida à diesel.
  • 1999 - Último de fabricação da cabine estendida e mudanças estéticas.
  • 1999 - Início de fabricação da S10 Cab. Dupla Deluxe Executive 4.3 V6 4x2 ou 4x4 (automática).
  • 2000 - Fim do motor 2.5 Maxion Turbo Diesel em virtude da chegada do motor 2.8 MWM Turbo Intercooler Diesel de 132 cavalos. Último ano dos modelos 4.3 V6 Gasolina com tração 4x4, e último ano da S10 Cab. Simples Deluxe 4.3 V6 Gasolina.
  • 2000 - S10 Barretos com motor 2.2 (cabine simples, série especial).
  • 2000 - Em dezembro é realizada a grande mudança em toda linha S10 e Blazer (linha 2001). Por esse motivo também é reavaliada a estratégia de vendas da S10 assim como suas versões, o motor à gasolina de quatro cilindros, passa de 2.2 (110 cavalos) para 2.4 (128 cavalos), apenas na versão Standard (cabine simples e dupla), e as versões Deluxe 2.8 Turbo Diesel 4x2 e 4x4 (apenas cabine dupla), assumem o posto de "top", já que as versões 4.3 V6 Gasolina 4x2, são temporiariamente, deixadas em "stand by".
  • 2001 - S10 Rodeio com motor 2.4 (cabine simples, série especial).
  • 2001 - Em abril o motor 4.3 V6 Gasolina 4x2, volta em cena nas versões Deluxe e Executive (apenas cabine dupla) , há também a opção de transmissão automática.
  • 2001 - Em dezembro encerra-se a produção da S10 Cab. Dupla 4.3 V6 Gasolina 4x2 (automática).
  • 2002 - Início de fabricação da S10 Cab. Dupla Executive 2.8 Turbo Diesel 4x4 (mecânica)
  • 2002 - S10 Sertões 2.8 Turbo Diesel 4x4 (cabine simples e dupla, série especial).
  • 2003 - É realizada pequenas mudanças estéticas, as versões continuam sendo as mesmas(Deluxe passa para DLX) de 2002, com exceção das S10 Sertões.
  • 2003 - Fim da S10 cabine simples à gasolina (agosto)
  • 2003 - As versões passam a ser montadas por pacotes com base na versão Standard (linha 2004, e opção de pacote DLX para os modelos 2.4). O painel perdeu o voltímetro e o manômetro em virtude de custos.
  • 2004 - Em setembro é lançada a linha 2005 nos seguintes motores e versões, 2.4 Gasolina 4x2 (Colina e Tornado, apenas cabine dupla) e 2.8 Turbo Diesel 4x2 e 4x4; Colina (cabine simples e dupla); Tornado (cabine dupla); Executive (cabine dupla).
  • 2005 - Mudanças na grade dianteira em formato de cruz, entrada de ar para refrigeração do motor. O motor 2.8 Turbodiesel ganhou gerenciamento eletrônico, três válvulas por cilindro e injeção por duto único (common-rail) de 132 cv passa a 140cv. A S10 traz também acelerador eletrônico e o sistema Track-Lock, um diferencial blocante (agosto). Início da S10 Cab. Dupla Advantage 2.4 Gasolina 4x2.
  • 2007 - Ganha o novo motor bi-combustível(PowerFlex), etanol e gasolina, 2.4 de 141/147cv, na versão Advantage.
  • 2008 - Nova restilização para a linha 2009 concentrada, principalmente, no capô, pára-lamas dianteiros e tampa traseira; Além disso a S10 cabine simples inicia a versão Advantage 2.4 Flexpower 4x2, e volta a ter a versão Executive à gasolina (cabine dupla, 2.4 Flexpower 4x2).

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Honda City


O sedan da Honda é produzido no Brasil em três versões (LX, EX e EXL) e foi projetado especialmente para ambiente urbano.

O desenho esportivo do modelo, evidenciado em seu perfil longilíneo, ressalta o conceito Arrowshot Form (forma de flecha sendo lançada).

O Honda City foi projetado seguindo o conceito Cool Lounge, que visa oferecer um ambiente agradável, mesmo sobre condições adversas (trânsito, calor intenso). Para isso foram aplicadas diversas soluções que privilegiam funcionalidade e ergonomia: coluna de direção ajustável em altura e profundidade, exclusivos bancos traseiros reclináveis, porta-malas com 506 litros de capacidade, sistema de ar-condicionado (automático digital nas versões EX e EXL), direção com assistência elétrica EPS (Electric Power Steering) e o áudio com MP3/WMA com sistema SVC (Speed Volume Control).

Desempenho com a nova geração de motores SOHC (Single Overhead Camshaft) i-VTEC (Intelligent Variable Valve Timing Electronic Control) 1.5l, dotado do sistema Honda Flex capaz de gerar até 116 cv de potência. Conta com transmissão manual de cinco velocidades de engates e precisos, transmissão automática de 5 velocidades com Shift Hold Control, além do câmbio Paddle Shift, exclusivo na versão EXL

Land Rover Defender 90' e Toyota Bandeirante 95
















A Land Rover Defender é como a Bandeirante mais esportiva e espaçosa, Bandeirante é o Jipe da Japonesa Toyota, nas fotos acima, aquele Jipe Verde é a Defender e o branco é a Bandeirante (Nova Land Cruiser), veja os dados:

Nome(s) Alternativo(s): Land Rover

Construtor: Land Rover

Produção: 1948-2010

Classe: Utilitário / Fora de Estrada

Tipo de Carroçaria: Alumínio

Layout: Pick-UP 90, 110, 130
Cabine Dupla, 110 2 e 4 portas
90 Station Wagon 2 portas
Motor = 200 e 300 TDI 2.5, TD5 2.5 e Daratorq 2.4.

Caixa de velocidades: 5 marchas LT77, R380 e 6 marchas.

Distância entre os eixos (mm): 90, 110 e 130 polegadas.

Consumo: 110 km/l

Modelos Similares: Toyota Bandeirante

E o Carro Branco é uma Toyota Bandeirante, modelo 1995 utilizado pelo IBGE, em sua agência de Sinop, Mato Grosso, veja os dados:

Nome(s) Alternativo(s): Toyota Land Cruiser ; Série J4 ; BJ (gíria em quase toda Europa).

Construtor: Toyota do Brasil

Produção: Maio de 1962-Novembro de 2001

Tipo de Carroçaria: Jipe Off-Road

Motor: Dianteiro, 4 cilindros em dia, diesel.

Então, qual deles é o melhor???
Agora eles só se vendem en lojas de Carros Usados ou de Carros Normais:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...